segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Principais efeitos do ruído

Ao sair de um ambiente excessivamente ruidoso, depois de nele permanecer durante algum tempo, a pessoa pode experimentar uma dificuldade de ouvir, chamada surdez temporária. Porém, a audição volta ao normal após algumas horas.
Quando se permanece exposto a altos níveis de ruído, diariamente por vários anos, pode ocorrer uma diminuição da audição.
CLASSIFICAÇÃO DOS EFEITOS
Podemos então classificar os efeitos de uma forma precisa e elucidativa, da seguinte forma:
  • Hipoacusia transitória – Diminuição passageira da acuidade auditiva (horas, dias, meses) produzida por: exposição curta (minutos, horas, dias) a níveis elevados (90 a 120 dB).
  • Surdez Profissional – Perda progressiva da audição inicialmente para freqüências de 4000 Hertz e , aos poucos, para freqüências vizinhas. É praticamente irreversível. Produzida por exposição prolongada (meses, anos) de indivíduos susceptíveis, a nível elevado (95 a 120 dB) ou exposição curta a níveis muito elevados (120 a 150 dB).
  • Ruptura do Tímpano – Lesões do ouvido médio e hipoacusia, geralmente passageira, produzida por exposição repentina a ruídos estrondosos (explosão) ou por grandes pressões (mergulho em água profundas).

A surdez pode também ser causada por outros fatores, tais como:

  • Idade avançada;
  • Infecções;
  • Drogas e remédios.

O médico, através de exames especializados, tem condição de identificar o tipo e a origem da perda auditiva. O fato é que, a severidade, grau ou porcentagem de redução depende primordialmente da intensidade da exposição ao ruído e que a pessoa exposta ao ruído intenso, sem uma devida proteção, pode sofrer uma perda da audição.

Postar um comentário