segunda-feira, 15 de junho de 2009

Os malefícios do cigarro

Quem já ouviu essa frase?

“Fumar mata devagarzinho, por isso que eu fumo bastante para não morrer de repente.”

Essa frase é muito boa para dar risadas, mas com certeza não contribui para a sua saúde. O Cigarro considerado uma das drogas lícitas, pois, é permitido por nossa legislação, possui mais de 4.000 substâncias que causam danos a nossa saúde. Muitos tipos de câncer estão associados ao cigarro, como por exemplo: Boca, garganta, laringe, faringe, estômago, bexiga e o mais mortal deles, o Câncer de Pulmão, além do enfisema Pulmonar, que é uma doença obstrutiva crônica causadora de muitas mortes.

O cigarro também causa derrames e a trombose, lesando veias e artérias do seu organismo que acabam perdendo a capacidade funcional, levando a amputação de membros.

Já se foi o tempo em que fumar era chique e símbolo de status. Hoje o cigarro tornou-se um caso de saúde pública no mundo todo. O cigarro não faz bem nem para a indústria do Tabaco que em outros países já sofrem revezes violentos através de processos milionários movidos por fumantes ou seus familiares e por governos preocupados com os altos custos no tratamento aos usuários de cigarro.

Deixar o vício, além de muita força de vontade, requer o apoio da empresa, dos amigos e principalmente da família. Parar de fumar é um problema que o fumante precisa encarar não como um sacrifício, mas um benefício para si e todos que estão a sua volta, pois quem fuma, involuntariamente obriga as pessoas que estão perto de si a fumarem juntas, são os chamados fumantes passivos que padecem das mesmas doenças que o fumante ativo.

Apesar dos inúmeros tratamentos a base de medicamentos e acompanhamentos psicológicos, deixar o vício é uma tarefa dolorosa e difícil para o usuário do cigarro, muitos acabam por retornar ao vício. A proibição de propagandas de cigarros também foi um avanço significativo na batalha contra o tabagismo, mas isso ainda não foi suficiente para diminuir o uso do cigarro. Leis restringindo o consumo de cigarros em espaços públicos vieram em boa hora livrando os frequentadores não-fumantes de serem fumantes passivos. É necessário atuar firme na conscientização dos usuários do cigarro para que diminuam o consumo ou parem com o vício de fumar.

A conscientização sobre o tabagismo deve ser feita nas escolas públicas e particulares de todo o Brasil desde a tenra infância. Um trabalho sério com professores preparados e utilizando didáticas atuais focada no esclarecimento dos males causados pelo cigarro, ajudaria substancialmente no combate ao fumo. É importante manter este trabalho de conscientização no jovem, porque são eles que manterão o vício por mais tempo, então cabe aos governos de todas as esferas investirem na educação para que os jovens não tenham experiências com o cigarro.

O fumante só tem a "consciência real" dos males do cigarro quando alguma doença associada ao fumo prejudica a sua saúde. Nem todas as campanhas de alerta sobre os efeitos do fumo no organismo são suficientes, porque o prazer de fumar supera toda e qualquer estratégia de convencimento contrário. Felizmente alguns acordam a tempo e conseguem deixar de fumar, porém a maioria continua com o vício e só conseguem diminuir ou parar de vez, quando o corpo já padece das doenças provocadas pelo cigarro.

Fumar em locais que existam crianças é uma verdadeira crueldade, pois os pequeninos estão passando por um processo de transformação, no qual ainda são seres frágeis e totalmente vulneráveis as ações prejudiciais e danosas do cigarro.

Se você parar de fumar hoje, certamente irá sentir os benefícios dessa atitude já nas próximas horas e dias, respirando melhor, dormindo melhor, sentido o cheiro e gosto dos alimentos.


PARE DE FUMAR, A SUA SAÚDE AGRADECE!


Por: Valdeci T. Ribeiro - Téc. em Segurança do Trabalho
http://www.liveseg.com/artigos_o_fumo_mata.html
Postar um comentário